O azeite pode ajudar a prevenir o câncer de mama

Dia Mundial Contra o Câncer de Mama

Madrid, 19 de outubro de 2017.

O câncer de mama é o tipo mais comum de tumor entre as mulheres ocidentais. Na Espanha, cerca de 25 mil novos cânceres de mama são detectados a cada ano. No entanto, os avanços para controlar esta doença dão passos gigantescos e não há dúvida de que pode ser curada se detectada precocemente, daí a importância das verificações periódicas. Além disso, vários estudos mostraram que os riscos podem ser reduzidos seguindo um estilo de vida saudável, em que alimentos como o azeite podem se tornar grandes aliados.

No Dia Mundial contra o Câncer de Mama, da Associação Contra o Câncer de Mama (ACCM) lembre-se que, embora não haja prevenção, sim, a possibilidade de reduzir os riscos para sofrer. Portanto, é muito importante manter bons hábitos e um estilo de vida saudável. Nesse sentido, tanto a alimentação adequada quanto o exercício físico são dois pilares básicos. Várias investigações provam isso.

Na verdade, o famoso estudo Predimed, que visava verificar os benefícios cardiovasculares da dieta mediterrânea, também revelou outras questões interessantes, como as relacionadas ao câncer de mama.

Para isso, as mulheres que foram objeto do estudo foram divididas em três grupos cujas características eram idênticas, exceto para a dieta. O primeiro grupo seguiu uma dieta mediterrânea rica em azeite (50 gramas por dia); o segundo, o mediterrâneo rico em nozes (30 gramas por dia de nozes e amêndoas ou avelãs); e a última, uma dieta com pouca gordura.

No final do período, como relatado por El Mundo, descobriu-se que, entre todas as mulheres, o número de casos de câncer de mama ao longo de um seguimento de cinco anos foi de apenas 35 e, no caso do azeite, ele apreciou uma redução no risco de ter câncer de nada menos que 68%.

Além disso, como os pesquisadores explicaram na época, em linhas celulares e experiências com animais, alguns polifenóis EVOO já demonstraram sua capacidade de parar a progressão do câncer. Daí a hipótese de que o consumo deste tipo de óleo seria capaz de parar a evolução de algumas células malignas muito incipientes que algumas dessas 4.000 mulheres poderiam ter.

INNOLIVA, em um dia tão significativo como este, mais uma vez destaca a pesquisa em favor da saúde e afirma a importância de seguir um estilo de vida saudável.

Sobre Innoliva

A empresa, que tem sede em Pamplona (Espanha), possui mais de 5.000 hectares de olivais irrigados, localizados em Espanha e em Portugal, onde o clima mediterrâneo dá ao olival o ambiente ideal para o desenvolvimento e amadurecimento da fruta; e favorece a obtenção de Óleos de Oliveira Extra Virgem com excelentes qualidades sensoriais.

Com o seu sistema de produção, garantem a rastreabilidade integral de todo o processo: da oliveira ao cliente final.

Eles fazem o seu óleo de oliva extra virgem frio no menor tempo possível a partir da entrada da azeitona no moinho de óleo. E eles cuidam do óleo já produzido para manter suas excelentes qualidades sensoriais e saudáveis ​​o maior tempo possível.